CONCEITO: documento dotado de fé pública, redigido pelo Tabelião e/ou seus prepostos, que instrumentaliza o mandato. “Opera-se o mandato quando alguém recebe de outrem poderes para, em seu nome, praticar atos ou administrar interesses” (artigos 653 e seguintes do Código Civil brasileiro).

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS:

A) Das pessoas físicas outorgantes:
Documento de identificação legível e em bom estado de conservação, com validade em todo o território nacional.
Número ou documento que contenha o número do seu Cadastro de Pessoa Física – CPF junto à Receita Federal do Brasil.
Quando for o caso, documentos que comprovem estado civil, quais sejam:
Para os solteiros, a Certidão de Nascimento;
Para os casados, a Certidão de Casamento, documento de identificação com validade em todo o território nacional de seu cônjuge, pacto antenupcial registrado (este último, somente se a parte for casada pelo regime de bens diverso do legal);
Para os desquitados, separados ou divorciados, a Certidão de Casamento com a respectiva averbação;
Para os viúvos, a Certidão de Casamento e a Certidão de Óbito do cônjuge.

B) Das pessoas jurídicas outorgantes:
O número no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas – CNPJ junto à Receita Federal.
O ato constitutivo da pessoa jurídica e suas respectivas alterações ou, se a última alteração estiver consolidada, somente esta.
O documento de identificação com validade em todo o território nacional dos sócios ou administradores que irão participar do ato.

C) Poderá ser exigida a apresentação de outros documentos e/ou a declaração de dados por parte do outorgante/cliente, a depender da finalidade da procuração.